Ganhadores das Loterias da Caixa Terão Dados Divulgados




Provavelmente, você já deve ter sonhado em ver a sua conta bancária recheada pelos milhões da Mega-Sena. Carro zero, mansões luxuosas, viagens ao redor do mundo e a chance de viver sem se preocupar com levantar de madrugada e ir trabalhar e tampouco em gastar o seu dinheiro. Mas, você sabia que existe um projeto de lei (PL) que defende a revelação dos dados dos ganhadores das loterias?

Índice

O que Prevê o Projeto de Lei?

Fraudes Envolvendo os Ganhadores de Loterias

Projeto Inspirado em Prática de Países de Primeiro Mundo

Isso mesmo! As pessoas premiadas teriam que aceitar a divulgação de seus nomes e outros dados para receber a quantia milionária. É o que propõe o senador Paulo Bauer, do PSDB de Santa Catarina.

O que Prevê o Projeto de Lei?

O PL criado por Bauer terá validade para todos os tipos de loteria, dos mais famosos gerenciados pelo Governo Federal até os jogos estaduais e municipais. Caso seja aprovada, a proposta estabelece a exposição das seguintes informações dos ganhadores das loterias:

1 – O nome completo,

2 – O número do CPF,

3 – O endereço residencial.

Tudo isso dentro de um prazo máximo de três meses a partir da realização dos sorteios. A motivação para proposta é bastante simples na visão do político: conceder clareza total ao processo para impedir a ocorrência de fraudes e golpes no sistema de premiação. Como já é feito nos Estados Unidos.

Casos de Fraudes Envolvendo Ganhadores das Loterias

De acordo com Bauer, há inúmeros boatos que vinculam os prêmios de loterias à irregularidades e lavagem de dinheiro. Em entrevista à Rádio Senado, ele recordou o escândalo dos Anões durante a década de 1990. Na época, implantou-se uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que indicou o deputado federal João Alves, do PRP (BA), como idealizador da falcatrua.Ganhadores das Loterias

O golpe era realizado pelo político e outros laranjas. Para explicar o seu elevado padrão de vida, ele argumentou que chegou a ganhar 221 vezes na Loteria. Ele acabou abrindo mão do seu mandato em 1994 para não sofrer a cassação e perder seus direitos políticos. Porém, ele nunca mais concorreu a nenhum cargo político e faleceu no ano de 2004.

Em 2015, houve o desvio de uma quantia não reclamada pelo apostador, que neste caso, o prêmio é repassado ao Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). A partir daí, a Polícia Federal iniciou uma investigação que descobriu golpes nas loterias da Caixa Econômica Federal. Uma quadrilha se apropriou ilegalmente de R$ 60 milhões.

O caso mais recente foi da Lotofácil da Independência com o maior prêmio anunciado em 2017. Coincidentemente, as três pessoas sorteadas residiam em municípios vizinhos. A mesma situação se repetiu meses depois, mas no estado de São Paulo. Nem sempre isso é fraude, porém ambas estão sendo apuradas.

Projeto foi Inspirado em Prática de Países de Primeiro Mundo

Devido à descoberta de tantos atos ilícitos no Brasil, Bauer alega que não se deve ignorar a chance que isso ainda ocorra. Assim, ele criou o projeto para revelar os nomes e outras informações dos ganhadores das loterias a partir de medidas tomadas no exterior.

O senador catarinense salientou que esta é uma prática corriqueira nos países de primeiro mundo, como os Estados Unidos. Atualmente, a proposta está pronta para ser incluída na pauta da Comissão de Assuntos Econômicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *